Se você já ouviu falar do Omegle, mas não tem certeza do que é, preste atenção porque vamos explicar em que consiste essa plataforma e como funciona uma das redes sociais mais perigosas que você deve evitar.

As redes sociais não se limitam apenas ao Facebook, Instagram ou Twitter. Além das plataformas mais populares que todos conhecemos, existem inúmeras alternativas que visam conectar as pessoas de diferentes maneiras. 

Enquanto as redes sociais mais conhecidas têm termos e condições mais ou menos rígidos que promovem práticas adequadas e bom comportamento. Porem, existem outras plataformas cujos filtros são muito mais flexíveis e que não são convenientes de usar.

Um deles é Omegle. É possível que você não tenha ouvido o nome dele recentemente, mas, apesar disso, não é algo novo. Pelo contrário, esta rede social nasceu em 2009, e nos últimos meses voltou a ganhar destaque e registou um aumento significativo do número de utilizadores que a utilizam.

Se você quer saber o que é Omegle e como funciona , preste atenção porque vamos contar tudo o que você quer saber sobre esta plataforma, e também explicar porque é uma das redes sociais mais perigosas que você deve evitar. 

O que é Omegle?

omegle

Se você já tem cabelos grisalhos e já usa a internet há muitos anos, com certeza já sabe o que é Omegle. É um site de bate-papo anônimo que conecta estranhos, seja por meio de conversas de texto ou de bate-papo por vídeo.

Para saber os primórdios do Omegle , temos que voltar a 2009. Foi então que Leif K-Brooks, um jovem de 18 anos de Vermont (Estados Unidos) que estava cursando o último ano do ensino médio, lançou um serviço de chat na web que atraiu fortemente a atenção dos usuários. 

Inicialmente, era um serviço totalmente anônimo, que não exigia o uso de cadastro, e sua premissa consistia em colocar dois desconhecidos em contato para um bate-papo aleatório. Ninguém sabia a identidade de quem ligava, um recurso extremamente atraente para muitos usuários.

Poucos dias após o lançamento do Omegle, o seu jovem fundador escreveu no blog do serviço para agradecer a grande recepção que estava a ter, que na altura tinha registado mais de 1.800 utilizadores online. 

K-Brooks não imaginava que menos de um mês depois teria cerca de 150.000 visualizações de página por dia e que os especialistas comparariam o sucesso de seu serviço com o da AOL no início dos anos 1990 nos Estados Unidos.

A emoção de entrar em contato com estranhos virou tendência e, inspirado por esse conceito, o Chatroulette nasceu alguns meses depois. Em novembro de 2009, Andrew Ternovskiy lançou um serviço de bate-papo por vídeo que conectava aleatoriamente dois estranhos e, em vista da boa recepção, o Omegle introduziu essa funcionalidade em 2010.

A rede social foi agregando várias funcionalidades ao longo dos anos e sobreviveu até os dias de hoje. Atualmente ele só pode ser acessado pela web, já que seus aplicativos para iOS e Android foram proibidos no ano passado no Google Play e na App Store por comportamento impróprio com menores.

É assim que funciona o Omegle

E como funciona o Omegle? Por que é conhecida como uma das redes sociais mais perigosas? 

O anonimato do usuário é um dos grandes perigos do Omegle. Para utilizar a plataforma, não é necessário cadastro ou disponibilização de qualquer informação, o que abre espaço para a ocorrência de abusos, uma vez que não é possível identificar as pessoas que a utilizam.

Os perigos do Omegle

Omegle é perigoso para menores ou usuários muito jovens. Os adultos podem optar por usar esta plataforma para conhecer novas pessoas por meio de chat de texto ou videochamada, mas o serviço representa um grande risco para os jovens. 

Se você é maior de idade e este serviço para atender pessoas lhe chama a atenção, deve ter cuidado com as informações que revela , pois seus dados podem ser utilizados de forma maliciosa. Além disso, algumas análises de segurança afirmam que a segurança do Omegle é questionável e um hacker pode acessar, rastrear e espionar conversas.

Caso utilize o chat de vídeo, é importante estar ciente de que a outra pessoa pode estar gravando a sessão e usar o vídeo sem o seu consentimento.

Sobre o Autor

Fernanda Fernandez

Fernanda Fernandez é jornalista e apaixonada por criar conteúdos que ajudem as pessoas a resolverem seus problemas, postando dicas e notícias que podem ajudar você a resolver seus problemas